Segunda-feira, 24 de Janeiro de 2011

Abstenção - Eleições Presidenciais 23 Janeiro 2011

A Abstenção ganhou, no primeiro momento que saiu a previsão do resultado foi o panico, sim, sem acento, entre a classe política e não só, começando logo as desculpas mal esfarrapadas!

Depois veio o silêncio, uns toques aqui, outros ali, mas nada de relevante, passemos à frente…

Políticos, comentadores, analistas, ‘sondagistas’, jornalistas, ‘opinistas’ e outros que tais acabados em …istas, abstenção? NahAh… umas falhas tecnológicas ou técnicas… o cartão de cidadão que isto e mais aquilo… bem que desta vez a culpa não morra solteira ou será viúva, hum… divorciada, talvez, quem sabe… sabemos… vai ser como a abstenção, não se fala mais nisso e prontus!

Basta!

eleicao

Encaremos os fatos de frente!

A abstenção em eleições anteriores para um 2º mandato para a presidência nunca teve resultado igual ou parecido e quem o disse mentiu!

Ou não percebe nada disto e então dedique-se a outra atividade qualquer, mas o mais provável é que tenha mentido!

Em eleições, quaisquer umas, anteriores a margem dos chamados ‘eleitores fantasma’ era cerca de 12%, estas foram as primeiras eleições após a limpeza geral e a margem, tal como a média europeia, não chega aos 3%.

Sim, meus senhores, é preciso ter em conta a abstenção, foi a maior percentagem de sempre da abstenção, este é o fato, independentemente das excepções que sempre devem ser consideradas, o que significa para o nosso sistema, para a nossa sociedade, o que vocês têm escamoteado, vão mais uma vez varrer o lixo para debaixo do tapete, é que o tapete está cheio de altos e até vocês já lá tropeçam?

Houve mesmo um grande número de eleitores que não foi votar para marcar uma posição, mas ainda têm dúvidas? Até quando?

É uma irresponsabilidade política e moral não tentar entender o que se passa no país e eles são os mesmos e continuam a ignorar-nos!

Sim, meus senhores, nunca existiram um resultado tão pesado da abstenção em Portugal e mais uma vez se viram para o lado e assobiam discutindo, hoje, se o Sr. Jorge Jesus deve ser suspenso três jogos ou seis meses, sim, esse, o treinador do Benfica, e, até o Sr. Pinto da Costa e outras pessoas que não têm nada a ver com o assunto já vieram dizer coisas, pelo menos foi o que acabei de ouvir nas notícias, como se isso é que fosse o grande problema de Portugal!

Realmente, quem é que quer saber disto?

Os artigos neste belogue são escritos ao abrigo do novo acordo ortográfico da Língua Portuguesa moderna, quando me apetece

Atão?: na percebo!
o melhor mesmo é ouvir: os vampiros.José Afonso
tags:
riscos por pedrinhazen às 15:24
| vá digam lá o que pensam
Sábado, 22 de Janeiro de 2011

Pedras!

Que ganda pedra...

 

...e não é nada ZEN!

 

Os artigos neste belogue são escritos ao abrigo do novo acordo ortográfico da Língua Portuguesa moderna, quando me apetece

 

'tou fã... não há hipótese!

 

 

 

Atão?: tásse...
o melhor mesmo é ouvir: maria clementina.maria clementina
tags:
riscos por pedrinhazen às 14:28
| vá digam lá o que pensam
Sábado, 15 de Janeiro de 2011

Revolução

Manuel Alegre

Manuel Alegre, ontem ao falar aos media durante uma das suas saídas em campanha, disse que era necessária ‘uma revolução…’ engasgou-se e prosseguiu, emendando de imediato para ‘reflexão…’.

Os tempos mudam e Revolução, agora para esta gente, já não faz sentido, eles são os personagens da Ópera Bufa do ‘status quo’ e os que ainda não mudaram o ‘chip’ como esta bafienta personalidade, têm recaídas, mas têm lhe puxado as orelhas e lá vai remendando a coisa…

A Revolução agora é outra! É a sério!

 

Os artigos neste belogue são escritos ao abrigo do novo acordo ortográfico da Língua Portuguesa moderna, quando me apetece

 

 

Atão?: evoluído!
o melhor mesmo é ouvir: evolution.Korn
riscos por pedrinhazen às 17:02
| vá digam lá o que pensam
Segunda-feira, 10 de Janeiro de 2011

O ‘Tsunami’, Surfar na Espiritualidade

Já tinha lido e nem sei do livro, na altura deu-me paz de espírito.

Não que eu pense mudar de religião, embora não a pratique como me mandam, tou bem com a minha fé e o mais provável é mêmo por tar aberto a outras espiritualidades, principalmente ao budismo.

Buda

Mas nunca trocaria uma religião ou aderiria a uma, por moda, porque fulano ou beltrana tamém são.

Gostava de conhecer a Cabala, mas já não vou a tempo, tenho pena, mas ou se faz ou não vale a pena fazer os outros perderem tempo, só pra dizer que conheço, sendo que na verdade só sei alguns conceitos superficiais. A Cabala estuda-se durante uma vida e quase em exclusivo, e se se for tarde, não se consegue fazer mais nada.

Mas isto a propósito de que ontem, vi o livro e como os preços dos livros, como já vos contei por aí algures, tão bem acessíveis (€ 4,90), comprei e resolvi ler outra vez.

Mal não faz, antes pelo contrário, num momento de encruzilhada em todos os sentidos como o que atravessamos, se calhar muitos deveriam fazer o mesmo, acredito mêmo, que prá maioria seria mesmo a primeira vez… o que não tem mal nenhum.

Podem ler, não morde e passa-se um bom bocado, aprendendo coisas simples e simpáticas…

A falta de espiritualidade, de fé, de acreditar em algo que nos transcende, que me perdoem os ateus, pela provocação, mas deixam-me atónito, mas não deixo de respeitar as opções de ninguém em circunstância alguma, nunca, limito-me a argumentar e perguntar.

Então, perante a complexidade do ser humano, dum planeta como o nosso, com tudo o que já encontrámos nesta laranja azul achatada, o que vamos descobrindo todos os dias e que leva a pensar que muito ainda falta conhecer, perante um sistema solar como o que já conhecemos, e, que na verdade, pouco conhecemos e até já nos permitimos a decidir o que é um planeta e afinal que já não é, sob as coordenadas da ciência que temos e será a definitiva?

Com a perspectiva de gotas de água em Marte, partículas de vida, ou, para nós vida é só a que decidimos que é aquilo que somos e vislumbramos?

Perante um Universo, que sabemos que tá por aí, mas do qual não fazemos a mínima ideia, alguns eleitos sim, sabem um pouco mais que nos vão transmitindo, mas será que nós os entendemos de forma tão clara como foi a água do nosso planeta?

Então perante tudo isto, foi obra do acaso? Saiu no Euromilhões? Um planeta para vivermos, sem pagar renda e que podemos vandalizar à vontade, porque o mais provável é aparecer outro, talvez num passe de mágica de Merlin, trazido, já agora, por D. Sebastião que finalmente arranjou faróis de nevoeiro?

Não creio que ninguém, por muito arredado destas coisas da espiritualidade, não tenha alguma vez invocado o nome de Deus, mêmo em vão, o que até nem se deve fazer, por uma questão de hábito, de tanto ouvir os outros a expressar-se no quotidiano, ou, numa aflição, não tenha virado os olhos pró céu e na hora da morte, neste caso é impossível dizê-lo, porque se invocaram Algo, nalguns, na maioria (?) dos casos nunca o saberemos, nem temos que o saber, porque isso é do foro privado e íntimo de cada um.

O budismo, pra mim, e, em relação a este caso de ter fé, de acreditar em algo, tenha o nome que tiver, tenha que forma tiver, tem uma posição muito clara e que levaria a evitar muitos dos problemas que enfrentamos no mundo.

O Dalai Lama, mais uma vez e quando de vista a Portugal, repetiu que deveríamos ter uma religião, não que fosse o budismo, fosse qual ela fosse, mas que a tivéssemos, que acreditássemos, que tivéssemos fé.

Porquê esta insistência?

Será que se a espiritualidade, não iria proporcionar a sensibilidade de encarar certas e determinadas situações, de lidar com elas, de outras maneiras, a bem, sem gritaria, sem violência, tranquilamente?

Será que estaríamos a ser tratados tão mal, com tanto desprezo, porque se assustou certa classe com a divulgação de ‘segredos’ de acontecimentos e relatórios que afinal de contas quase toda a gente calculava que até existiriam de alguma forma? Será que é pelos segredos, aqui sem aspas, leia-se limites, que não foram expostos?

Continuo sem compreender esse fenómeno, que creio ser uma ‘chave’ importante do que se tem passado nos últimos anos e do que se irá passar nos próximos, e, de que nem os nossos governantes e doutros países têm conhecimento, tando a ser teleguiados conforme as conveniências de interesses bem instalados, os tais sem rosto ou cara, como queiram chamar.

O poder económico, já há alguns anos, mas nunca tanto como hoje em dia, sem rosto, sem raça, sobrepõe-se ao poder político e religioso, reparem no enfraquecimento das mais importantes religiões da Terra, tarefa levada a cabo nos últimos tempos, através do descrédito, uns pela utilização da violência e terrorismo, outros com a ‘chuva’ de escândalos de caráter sexual, mais a mais pedófilo, não que sejam falsidades, mas que o crescimento da informação tenha sido extremamente acentuado, levando ao afastamento de muitíssimos crentes, e, não tou com isto a justificar ou desculpabilizar o que for ou quem for, limito-me a assinalar um fato.

Evitando entrar no campo das teorias da conspiração, porque tudo isto, pode não ter sido pensado, nem planeado, na minha opinião pode ser através do pensamento, da espiritualidade que possamos combater o futuro que desta forma não parece nada famoso…

A vida não tem que ser bela, por ser obrigatório, a vida tem altos e baixos, até nos piores momentos, já muitos o demonstraram, simplesmente… a Vida É Bela!

Os artigos neste belogue são escritos ao abrigo do novo acordo ortográfico da Língua Portuguesa moderna, quando me apetece

Atão?: com vida!
o melhor mesmo é ouvir: La Vita è Bella.Abbiamo Vinto
tags:
riscos por pedrinhazen às 20:37
| vá digam lá o que pensam
Domingo, 9 de Janeiro de 2011

O Que é o Sucesso?

xixiamigos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Aos 02 anos sucesso é: conseguir andar.

Aos 04 anos  sucesso é: não fazer xixi nas calças.
Aos 12 anos  sucesso é: ter amigos.

Aos 18 anos  sucesso é: ter carta de condução.

Aos 20 anos  sucesso é: fazer sexo.
Aos 35 anos  sucesso é: dinheiro.

dinheirocarsex

Aos 50 anos  sucesso é: dinheiro.
Aos 60 anos  sucesso é: fazer sexo.

Aos 70 anos  sucesso é: manter a carta de condução.
Aos 75 anos  sucesso é: ter amigos.
Aos 80 anos  sucesso é: não fazer xixi nas calças.
Aos 90 anos  sucesso é: conseguir andar.

 

Sucesso para ti!

 


ASSIM É A VIDA....

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Extra neste post: Adam Sandler numa apresentação de Stand Up Comedy, ao princípio da carreira já a prever um grande sucesso pró seu futuro!

Os artigos neste belogue são escritos ao abrigo do novo acordo ortográfico da Língua Portuguesa moderna, quando me apetece

Atão?: com sucesso...?
o melhor mesmo é ouvir: Successful.Drake & Trey Songz
tags:
riscos por pedrinhazen às 09:34
| vá digam lá o que pensam

.prós cuscos

.posts que já cá estão

. O ESPÍRITO DA COISA I

. A Grande Transformação Es...

. O ACORDO COM A ‘TROIKA’ –...

. JAPONESES – CULTURA DURA ...

. GÉNIO DE FÉRIAS A ESTUDAR...

. SEMANA SANTA E AS FÉRIAS

. O FMI, O FEEF E A DÍVIDA ...

. OS PORTUGUESES NO MUNDO

. O PM DEMITIU-SE, E ENTÃO?

. SOLTAS

.onde tá tudo guardado

. Agosto 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

.ligações

Os Meus Bloguios

Divulga também a tua página
planeta de artes e comunicação

Divulga também a tua página

.as minhas pilingrafias

.à busca neste blog

 

.subscrever feeds

.tks pela espreitadela


web site counter

.tags

. todas as tags

(O direito de autor é reconhecido independentemente de registo, depósito ou qualquer outra formalidade artigo 12.º do CDADC. Lei 16/08 de 1/4) (A registar no Ministério da Cultura - Inspecção - Geral das Actividades Culturais I.G.A.C. - Processo n.º 2079/09)